sábado, 10 de janeiro de 2009

Correria total

Nosso primeiro dia em Buenos Aires foi uma correria total! O check-in no hostel só rola perto das 13 horas. Aproveitamos pra trocar dinheiro e usar a internet. A cotacao de sexta tava em $ 3,40 para cada peso argentino, seis centavos a menos do que em Mendoza. Na sequencia nos mandamos para o bairro La Boca, que, como sugere o nome, abriga o Boca Juniors. Visitei a Bombonera e a Moguinha ficou no museu do clube. Em seguida passeamos pelo Caminito. É uma viagem o lugar, com casinhas amontoadas, uma de cada cor, o que acaba tornando tudo muito bonito. Tem umas esculturas com estilo de cartoon que saem das janelas, fora as frentes dos bares, sempre coloridas.

A proxima parada foi a Praca de Maio, onde acontecem as manifestacoes em Buenos Aires. Tem um obelisco no meio da praca e o chao está todo pintado com frases de protesto. Numa ponta da praca fica a Casa Rosada. Nada demais. O predio é legal, mas nao é um disbundi. Só que ele é rosa. Em outra ponta da praca fica a Catedral, que abriga a cripta do General San Martin, o cara que libertou a Argentina, o Chile e o Peru.

Em linha reta, subimos até a Avenida 9 de julho, para procurar o Obelisco. Nos perdemos. Errei o caminho e joguei fora umas quatro quadras. Após acertar o rumo, tiramos fotos e pronto! Hora de ir ao mercado. Tem um Carrefour perto do albergue. Fizemos nosso ranchinho por $ 37,00 com água, bolachas, frutas, salsichas, atum e molho. Moguinha assumiu a cozinha e mandou ver na massa com salsicha.

De bucho cheio, procuramos o bar Milonga, uma casa de tango que é barata. Caminhamos umas sete quadras pelas 22h30, tudo meio escuro, perigoso, e a porcaria do lugar estava fechada! Tivemos que voltar de táxi para o hostel. Baleados, resolvemos deitar e dormir.


Nenhum comentário:

Postar um comentário