terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Despedida de Santiago

Foi com tristeza e vontade de voltar que deixamos Santiago. Charme é o adjetivo perfeito para o lugar. Prédios históricos entre outros futuristas, muito verde, diversidade, pracas de montao. Nosso último dia iniciou na Casa da Moneda. Nos disseram que haveria a troca da guarda do local, porém era furada. Seria na terca. Os chilenos sao especialistas em dar informacoes erradas. Cuidado. Até os guardas dao dicas caidas. Uma droga.

Furada a troca da guarda, atravessamos a rua e visitamos a cripta de Bernardo O´Higgins, libertador do Chile, pai da pátria. Tivemos que pedir para abrirem o local, porque o responsável nao tinha chego. Todo de mármore, o monumento é legal e ao seu redor é contada a história da evolucao chilena até a independência, em 1818.

Biblioteca Nacional e Cerro San Cristóban foram as paradas seguintes. Fizemos tudo andando em linha reta pela Alameda. O Cerro tem 800 metros de altura. Subimos de van, a $ 500,00 por pessoa. A vista é linda no alto. Aparece toda a cidade e ao fundo a cordilheira. Ainda tem uma santa. Para voltar pegamos o funicular, um irmao do bondinho. Custou $ 800,00. Em seguida andamos feitos uns malucos para apanhar um metro. Concha y Toro nos aguardava.




Um comentário:

  1. Acho que vcs estão PHD em Chile!
    Podem me escrever e dar umas dicas sobre Santiago?
    Agradeceria muito.
    nina_bru@hotmail.com

    ResponderExcluir