segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

O Chirrin Chirrion do Diabo

Na mesma sexta em que conhecemos a orla de Montevidéu, Moguinha teve um piripaque. Não foi como aqueles do Chaves, mas a loirinha preocupou. Entupida, banhada no protetor solar, ela começou a ficar vermelha, muito vermelha. Eu achei que era calor misturado com frescura. Mas a coisa piorou e eu me assustei. Já em Pocitos, pegamos um busão de volta. Dos ombros para cima, Moguinha era um vermelhão só. Nem as orelhas escaparam. Tonta e indisposta, chegou em casa, tomou banho e dormiu. Eu fiquei na sala da casa do Efra, de guarda. Um guardo compenetrado... na TV. Fiquei junto com o Gastão, filho do Efra, assistindo a grandes episódios de El Chavo e Chapolin, estrelados pelo grande comediante Chespirito! Foram dois capítulos do Chaves no Restaurante da Dona Florinda e o do Chapolin com a magnfíca história do Chirrin Chirrion do Diabo. Dr. Fausto era velho, sábio, mas queria ser jovem e poderoso. Ele invoca o Seu Madruga, digo, o Diabo, que lhe oferece uma varinha mágia que traz (chirrin) e afasta (chirrion) as coisas. Relembre aí. Assita ao vídeo, chirrin!

Um comentário: